Quadrilha é presa acusada de incendiar Seinfra em Camaçari


Nesta segunda-feira (13), cinco pessoas foram presas acusadas de incendiar o prédio da Secretaria de Infraestrutura e Habitação (Seinfra) de Camaçari no dia 02 deste mês.

De acordo com a delegada titular da 18ª Delegacia Territorial, Drª Taís Siqueira, em entrevista a um site local, a mandante do crime foi uma ex-funcionária da secretaria e a motivação foi encobrir fraudes no Programa Minha Casa, Minha Vida.

Segundo informações, os presos foram Jorgeane Paixão de Souza, Andréia Cristina Amélia do Nascimento, Marizete Pereira da Encarnação, Luiz Carlos Silva dos Santos e outro homem que não teve o nome divulgado.

Ainda segundo a publicação, Jorgeane, confirmou em depoimento que o incêndio teve o propósito de destruir provas das fraudes que vinham ocorrendo na pasta. A delegada contou que eram feitas falsas inscrições, algumas vagas eram vendidas e pessoas eram ludibriadas com a promessa de que seriam comtempladas, o que não acontecia.

Apesar da prisão da quadrilha, as investigações continuarão para apontar se há o envolvimento de outras pessoas no caso. A Drª Taís nega qualquer motivação política.

Os acusados serão apresentados na audiência de custódia, onde ficará decidido se eles continuarão presos ou se irão responder ao processo em liberdade.

O crime

O ataque foi feito por dois homens armados e encapuzados, que renderam dois vigilantes e atearam fogo em salas, utilizando um produto inflamável. O fogo atingiu o local onde estavam guardados documentos das obras de reurbanização da Bacia do Rio Camaçari e do programa Minha Casa, Minha Vida, projetos que receberam verbas do Governo Federal nas gestões anteriores para serem realizados no município.

“Já tentaram destruir a papelada desse projeto nos outros dois atentados, mas os ataques nos documentos físicos são inúteis, pois todo o material está digitalizado e guardado em local seguro”, explicou Jeselene Cardim, responsável pela secretaria.