Dia do maqueiro será comemorado no dia 19 de agosto, em Simões Filho


Com a proximidade da comemoração do dia do maqueiro, em 19 de agosto, a reportagem do FALA SIMÕES FILHO foi ver de perto como é o dia a dia dos profissionais que dedicam 24 horas do dia para ajudar nos atendimentos médicos de urgência no município.

Quem conversou com a reportagem foi Dulvalino Bispo dos Santos, maqueiro há 17 anos em Simões Filho. Ele contou que a profissão é desvalorizada e vista como ponto de socorro para outros, já que o paciente tem o primeiro contato com o maqueiro.

“O amor pela profissão vai além de tudo. Eu amo o que faço e gosto de ajudar as pessoas. Ninguém vem em busca de ajuda se não precisa dela, ainda mais em um hospital público”, relatou.

De acordo com Dulvalino, tudo começou em 2000, quando sua filha, que é cardiopata, precisou de atendimento. Com isso, ele pediu para trabalhar como maqueiro.

À reportagem, ele explicou a importância do maqueiro para a vida do paciente. “Quando chega o paciente, a nossa obrigação é levar diretamente para ser atendido. Eu vejo que várias vidas foram salvas com a nossa colaboração”.

Para Dulvalino, o que mais deixa triste são os casos envolvendo crianças, principalmente quando não é possível salvá-las. “Todo dia penso em meus filhos”, lembrou.

Com doze anos de profissão, Bernardo Dantas trata o dia do maqueiro como uma vitória, pois é um momento especial para todos os profissionais. “Gostaria de mais respeito, que as pessoas vejam o maqueiro como um ser humano”, afirmou.

As comemorações do dia do maqueiro serão feitas no dia 19, às 8 horas, na Arena Cia,  no bairro Cia I.