Senai tem mais de mil vagas para jovem aprendiz
Mata de São João

Senai tem mais de mil vagas para jovem aprendiz

Conseguir um emprego tem se tornado cada vez mais difícil, porém, para os jovens que estão começando, aprender uma função pode ser mais fácil do que parece. Até o próximo dia 28, 1.134 vagas para menor aprendiz estão abertas na Bahia. As inscrições são feitas pela internet, no site. O programa de jovem aprendiz tem o objetivo de inserir estudantes no mercado de trabalho e de estimular as empresas a oferecerem vagas remuneradas com baixa carga horária para jovens entre 14 e 24 anos.

“Por meio do programa, os jovens podem se tornar um funcionário da empresa. No tempo da experiência, a organização consegue desenvolver esse profissional. E se a empresa fizer um trabalho diferenciado, ele pode ser um futuro líder”, afirma Lélian Garrido, coordenadora geral dos grupos de práticas de gestão de pessoas da Associação Brasileira de Recursos Humanos, seção Bahia (ABRH-BA).

Senai tem mais de mil vagas para jovem aprendiz

O Jovem Aprendiz é um programa do governo federal que aceita jovens que estejam cursando os ensinos fundamental, médio ou cursos técnicos, a depender do perfil desejado pelo empregador. O programa pode durar até dois anos e a carga horária do curso preparatório deve ser equivalente ao período de prática na empresa.

Aprendizado

São diversas as empresas que contratam  por esse regime. Jovem aprendiz do setor financeiro do Shopping da Bahia há um ano e 8 meses, Anaize Carvalho conta que a vivência prática e o contato com os profissionais da área são pontos fortes do programa.

Preparação

A contratação do aprendiz pode ser efetivada pela empresa onde será realizada a aprendizagem ou por escolas técnicas de educação. Independente disso, é obrigatório realizar aulas teóricas.

No Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), que está com as inscrições abertas para 1.134 vagas até o dia 28, os alunos realizam aulas e, depois disso, são encaminhados ou selecionados pelas empresas em que vão trabalhar. “A  formação teórica e a etapa prática são imprescindíveis e devem ser equivalentes em carga horária”, explica Patrícia Evangelista, gerente de Educação Profissional do Senai na Bahia.

Já no Senac (Serviço Nacional de Apredizagem do Comércio), os jovens são encaminhados para os centros de formação pelas empresas, após terem sido selecionados. “Ofertamos cursos que atendem empresas de bens, comércio, serviços e turismo. Alguns jovens gostam tanto da função que se formam na área.  É gratificante, porque você acaba plantando neles a semente do estudo e do trabalho”, diz Carla Spinola, gerente de educação profissional do Senac-BA.

Segundo o Ministério do Trabalho, toda empresa com mais de 7 empregados deve ter um aprendiz. A remuneração tem como base  o salário mínimo hora. Ainda assim, o contratante pode estipular qualquer valor de salário acima desse mínimo.

Emprego garantido

Recém-contratado da OAS, Andrei Campos é um exemplo de história de sucesso. Ele foi efetivado como auxiliar-administrativo na OAS há  4 meses, assim que terminou o seu período como jovem aprendiz.

O rapaz conta que resolveu se tornar um jovem aprendiz por ser uma chance de conseguir o primeiro emprego. “Eu me matriculei por necessidade. Eu tinha acabado de me formar e precisava de um emprego. Quando soube do programa, agarrei a oportunidade”, conta.

Colega de Andrei, Márcio Frutuoso seguiu o mesmo caminho – após dois anos de programa foi contratado na empresa. “Sempre busquei mostrar interesse e dar o meu melhor, e parece ter dado certo. Não é por menos que hoje tenho planos de começar a cursar Administração”, diz.

VEJA AS NOVAS VAGAS DE EMPREGO PARA ENVIAR SEU CURRÍCULO

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top