Preso em Camaçari homem que anunciava falsas vagas de emprego
Pojuca

Preso em Camaçari homem que anunciava falsas vagas de emprego

Após quase dois meses de investigação, um homem suspeito de ofertar falsas vagas de emprego a mulheres e depois coagi-las à prostituição foi preso em casa, no município de Camaçari. De acordo com a polícia, investigações apontam que Dario Andrade Salomão, de 27 anos, atuava em hotéis da capital baiana e que já fez mais de 50 vítimas. Em entrevista, a delegada Maria Selma Lima, titular da 16ª Delegacia Territorial (DT/Pituba), contou que o suspeito começou a ser investigado em junho deste ano após a denúncia de uma das vítimas. Trata-se de uma jovem de 18 anos.

Conforme Maria Selma Lima, a vítima contou em depoimento que foi atraída para uma falsa oferta de emprego para modelo. Durante os supostos testes de seleção, foi estuprada e teve a agressão sexual gravada pelo aliciador. Por meio das imagens, a polícia afirma que ele chantageou a vítima e a obrigou a se prostituir para ter os lucros dos programas.

“Ele disse que ela seria modelo. Para isso, ela teria que fazer um teste de lingerie para ver se tinha o corpo para isso. O ensaio foi feito em um hotel [na Pituba]. Depois do ensaio, ele disse que teria que fazer as fotos. Foi quando ele estuprou e filmou para chantagear. Ela se tornou escrava sexual. Fazia cinco programas por dia e ele não repassava quase nada para ela”, contou.

Com base nos relatos da vítima, a delegada disse que a polícia já tem um acervo fotográfico que aponta que ao menos 50 mulheres sejam vítimas do suspeito. Para a polícia, o aliciador atua sob uma chefia, que já teve a identidade descoberta e que não terá o nome divulgado para não atrapalhar as investigações.

De acordo a delegada Maria Selma Lima, as primeiras apurações do crime apontam que as mulheres vítimas do agressor, após serem coagidas, se prostituíam usando nomes iguais. A vítima de 18 anos, por exemplo, integrava um grupo de mulheres chamadas de Rafaela. O suspeito do crime foi preso em casa e é mantido na 16ª Delegacia Territorial, onde aguarda transferência para uma unidade penal.

Comentar essa notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir ao topo