Pojuca

‘Morreu para me acudir’, disse a mãe do pastor baleado em assalto no Mercado do Peixe

RTEmagicC_mercadodopeixe_agua__1_.jpeg

“Ele morreu para tentar me acudir. Antes tivesse sido eu. Meu filho era muito querido”, disse a comerciante Nilzete Almeida dos Santos, 70 anos, sobre o filho de criação, o pastor Rosivaldo Oliveira de Jesus, 32 anos, assassinado na madrugada desta quarta-feira (27), na frente dela, durante uma tentativa de assalto próximo ao Mercado Municipal do Peixe, em Água de Meninos. O bandido também foi morto. Segundo informações da 16ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Comércio), ele foi agredido até a morte por pessoas que presenciaram o crime.RTEmagicC_mercadodopeixe_agua__1_.jpeg

Proprietária do boxe Do mar para a mesa, na Central de Abastecimento de Alagoinhas, semanalmente a comerciante vinha fazer compras no Mercado do Peixe de Salvador com o filho. Dessa vez, foram surpreendidos por um bandido quando guardavam as mercadorias no carro. “A gente estava do lado do motorista e o bandido veio pelo fundo, no lado do carona”, contou a mãe da vítima.

Ainda segundo ela, diante do anúncio do assalto, o filho teria entregado a chave do carro ao bandido sem reagir e ela correu para trás de um caminhão. “Como eu corri, eu não vi se ele falou alguma coisa depois. Só vi o bandido ligando o carro e vindo em alta velocidade em minha direção. Nessa hora, meu fiho gritou: ´sai daí, minha mãe´. Ele queria me salvar. Depois só ouvi os tiros e meu filho caído no chão”, conta, ainda em estado de choque.

Ao ver o filho caído, dona Nilzete ainda foi até ele e pegou em sua mão. “A mão já estava dura, nem a aliança saía mais do dedo. Era filho do meu marido, mas eu criei desde os 5 anos e era mais próximo de mim do que os meus filhos biológicos. Ele não soltava minha mão para nada”, contou. Dona Nilzete mantinha o boxe de venda de peixe e frutos do mar há 30 anos, sendo que em 20 deles com o filho trabalhando com ela.

Rosivaldo nasceu em Medeiros Neto, no Extremo Sul da Bahia, mas sempre morou em Alagoinhas com a família. Ele era casado e tinha dois filhos de criação. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML). O bandido ainda não foi identificado. Ainda não há informações sobre o enterro.(Por Correio)

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top