Edson Almeida é ficha-suja e segue inelegível até 2022, diz Ministério Público
Miudinhas

Edson Almeida é ficha-suja e segue inelegível até 2022, diz Ministério Público

O postulante ao cargo  de prefeito de Simões Filho, Edson Almeida do PT, teve sua candidatura impugnada apontada pelo Ministério Público.

 

Edson Almeida, conhecido com Irmãozinho,, que já foi prefeito do município nos anos de 2005 a 2008, teve as prestações de contas do ano de 2007 reprovadas pela Câmara de Vereadores e foi condenado por Improbidade Administrativa pela Justiça Federal, ficando inelegível até novembro de 2022.  Almeida recorreu da decisão em 2014, mas a mesma foi mantida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

No último dia 15 de agosto, Edson impetrou uma ação com pedido de liminar no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF). No entanto, é possível que a situação não seja revertida até o dia 12 de setembro – data limite para a coligação apresentar uma possível substituição.

EDSON ALMEIDAAEdson teve sua candidatura à prefeitura de Simões Filho impugnada pelo MP.

Escolhido para representar a chapa de direita, Edson Almeida substitui o irmão, na candidatura, Neco Almeida. O candidato pode continuar fazendo campanhas normalmente, no entanto, se a situação não for revertida até a data das eleições os votos que o candidato receber não serão contados, sendo considerados apenas o votos para os outros três candidatos.

O que diz a oposição

Oposição comenta a situação de Edson AlmeidaOposição comenta a situação de Edson Almeida ( Foto: PN)

O vereador Genivaldo Lima (DEM), líder da bancada de oposição na Câmara Municipal falou sobre a situação política do rival que foi julgado e condenado, em 2014, pelo processo nº 0015346/64, tornando Edson Alencar inelegível até novembro de 2022.

Genivaldo se diz surpreso com a candidatura de Edson pela coligação de Direita, considerando o processo de inelegibilidade.

“Fiquei surpreso com a convenção que colocou Edson Almeida como o candidato a prefeito, porque eu acredito que houve uma falha por parte do grupo deles, que não observaram este processo que já foi julgado e transitado em 2014. Eles estão se apegando apenas no processo da rejeição das contas de Edson Almeida pela Câmara de Vereadores de Simões Filho e se esqueceram desse processo que coloca Edson inelegível” afirmou Genivaldo Lima.

Outros candidatos impugnados

Além de Edson Almeida, outros quatro prefeitos que tentam candidaturas ao Executivo estão na lista de inelegíveis por contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos seus municípios. São eles: a prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira do PSD; o prefeito de Teixeira de Freitas, João Bosco do PT; o prefeito de Casa Nova, Orlando Xavier do PR; e o ex-prefeito de Salvador, João Henrique, também do PR.

Outros políticos também fazem parte dessa lista, que tem “apenas” 49 páginas.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top