Decreto Municipal fecha três escolas em Simões Filho - Fala Simões Filho - Notícias de Simões Filho
Dias d´Ávila

Decreto Municipal fecha três escolas em Simões Filho

FotorCreated-1

A Administração Municipal de Simões Filho, através do Secretário Municipal de Educação, Jorge Sales e do Prefeito Eduardo Alencar (PSD), publicou na última semana o Decreto Municipal Nº 603/2016 que determina a extinção de três escolas municipais.

De acordo com o Decreto, tornam-se extintas as seguintes Escolas da Rede Municipal de Ensino: Creche Escola Municipal Semear; Escola Municipal Jesus Cristo Único Rei e Escola Municipal São Francisco de Assis.

Ainda, de acordo com o mesmo Decreto, todo o acervo escolar, Professores, Funcionários e Alunos das unidades fechadas foram remanejados para a Escola Municipal Pedro Cerqueira Santos; Escola Creche Matilde de Freitas e Patrimônio da Educação, respectivamente.

Segundo a Administração Municipal, na pessoa do Secretário Municipal de Educação, Jorge Sales, o fechamento das escolas se deu pelo número insuficiente de alunos e, consequentemente, o corte de gastos, já que as mesmas funcionavam em prédios alugados e não tinham alunos suficientes para manter as unidades abertas.

O secretário ainda afirmou que a decisão propende à melhoria na qualidade do ensino, tendo em vista que a prefeitura possui prédios próprios com capacidade de receber os alunos das unidades fechadas sem nenhum prejuízo aos estudantes.

“O numero de alunos não eram suficiente e os prédios eram alugados. Aí nós transferimos os alunos para as escolas mais próximas com prédios próprios e encerramos os contratos de alugueis dessas três escolas. O objetivo é dar mais qualidade a educação – porque sabemos que uma escola que tem pouco aluno acaba ficando prejudicada na qualidade da educação e também na questão dos custos – Reduzimos custos dos alugueis dessas escolas, uma vez que a gente tinha outros prédios próprios com capacidade de absorver esses alunos. Esse decreto foi apenas a formalização do fechamento de três escolas que ocorreu no ano passado”, afirmou Jorge Sales.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top